terça-feira, 31 de maio de 2016

Candidatos pagariam até R$ 32 mil em fraude no concurso da PM


Das 14 pessoas presas sob suspeita de participarem de um esquema que tentava fraudar o concurso da Polícia Militar de Pernambuco, realizado no último domingo, apenas uma segue presa, segundo a Polícia Civil. Em coletiva realizada na manhã desta terça-feira, o delegado responsável pelo caso, João Gustavo Godoy, afirmou que a fraude foi identificada há mais de um mês pelo setor de inteligência das polícias Civil e Militar e estava sendo investigada em sigilo.
“Da maneira como agimos, não houve prejuízo para o concurso. O responsável por todo esquema é um homem que tem um cursinho no bairro do Ibura. Ele recrutava alguns professores para responder às questões das provas, que depois seriam repassadas, através de pontos eletrônicos, para os candidatos que seriam beneficiados com o esquema”, contou Godoy. Ainda segundo a polícia, cada candidato pagou antecipado o valor de R$ 1,5 mil para receber o ponto eletrônico e pagaria mais R$ 30 mil em caso de aprovação no certame. “Esse valor seria pago por meio de empréstimo consignado”, completou o delegado.
Também durante a entrevista coletiva realizada na sede da Secretaria de Defesa Social (SDS) foi esclarecido que o concurso não será anulado. “Prendemos esses 14 suspeitos em flagrante delito. Foram detidos o dono do cursinho e um amigo dele que recebiam as questões respondidas pelos professores e as repassariam para os candidatos. Já identificamos muitas pessoas e todas elas serão chamadas para prestar depoimento. Infelizmente, desse grupo que foi preso, apenas uma pessoa permanece detida. Era um candidato que tinha um mandado de prisão contra ele pelo crime de homicídio”, contou o delegado.

Além das pessoas envolvidas na fraude, a polícia prendeu um homem que é sogro do candidato que era procurado por homicídio. “Ele foi encontrado com um revólver e foi preso por porte ilegal de armas, mas não tem ligação com o esquema criminoso”, ressaltou João Gustavo. Ao todo, 123.048 candidatos inscreveram-se para o concurso público e disputam 1,5 mil vagas oferecidas para a função de soldado, com salário inicial de R$ 2.319,88 mais benefícios. Antes de assumir a função, os aprovados ainda serão submetidos ao curso de formação e habilitação de praças – com bolsa-auxílio de R$ 970,42.

fonte: DP

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Professores entre os presos por tentativa de fraude em concurso da Polícia Militar


As provas da primeira etapa do concurso da Polícia Militar de Pernambuco foram marcadas pela prisão de uma quadrilha suspeita de tentativa de fraude. Até professores de cursos preparatórios para a seleção estariam entre os envolvidos, segundo informações da Polícia Civil. No total, 13 pessoas foram presas na manhã deste domingo (29), durante a aplicação das provas. Os envolvidos no esquema criminoso entregaram pontos eletrônicos aos candidatos para que pouco antes do término do prazo dos testes objetivos os gabaritos com as respostas corretas fossem repassados. Para isso, utilizaram os professores na tentativa de fraude, que estava sob investigação da Polícia Civil há pouco mais de um mês. O Ministério Público de Pernambuco também está acompanhando o caso. O líder da quadrilha foi preso no Recife. Além de ser responsável por montar todo o esquema, ele é quem iria repassar as respostas para os candidatos que pagaram para ter os gabaritos. O valor pago ainda não foi informado pela polícia. No total, 162 policiais militares e mais 50 civis participaram da operação, denominada “Ponto Eletrônico”.

Fonte: RondaJC

sexta-feira, 27 de maio de 2016

“Assumi um sacerdócio”, diz novo secretário executivo de Defesa Social


Com a meta de contribuir com o planejamento e execução de ideias para reduzir a violência em Pernambuco, o delegado federal Alexandre Lucena tomou posse como novo secretário executivo de Defesa Social. Ele substitui Rodrigo Bastos, que pediu exoneração do cargo no final do mês passado. “Vou dedicar cada hora de minha vida para buscar uma sociedade mais pacificada”, afirmou Lucena, durante solenidade de posse, nessa quinta-feira (26). Apesar das especulações no próprio Palácio do Campo das Princesas, Alessandro Carvalho permanece como o titular da Secretaria de Defesa Social. Com o reforço de Alexandre Lucena, como executivo, ambos vão precisar unir forças para estancar o crescimento da criminalidade e o aumento dos homicídios no Estado. O programa Pacto pela Vida, que completou nove anos neste mês, apresenta os piores resultados da história. Atualmente, Pernambuco registra uma média de 12 assassinatos por dia. Em seu discurso de posse, Lucena se mostrou confiante para assumir o novo desafio, que classificou como um “um sacerdócio”. Disse ainda que sempre deixa uma marca positiva por onde passa, e que na SDS isso não será diferente. Já Alessandro Carvalho, em discurso, desejou boas vindas ao parceiro e citou o título de um livro de José Mariano Beltrame para sintetizar o trabalho pela frente: “Diariamente começamos uma nova batalha. Mas, quando fazemos o que gostamos, tudo fica mais fácil”.
Perfil do novo secretário

Alexandre de Almeida Lucena é recifense, graduado em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco, atuou na advocacia criminal até ingressar na Polícia Federal, em 2003, como delegado. Seu último cargo foi de superintendente substituto da Superintendência Regional do órgão em Pernambuco. Filho de José Trajano de Lucena e Argentina Almeida Lucena, ele é casado com Pâmela Joana Silva de Almeida Lucena, com quem tem dois filhos, José e Alexandre, de 7 e 14 anos, respectivamente.

fonte: Ronda JC